• Facebook
  • Instagram

"Nada é tão sólido

que não possa se elevar,

nem tão etéreo

que não possa ter um corpo".

O desenho sempre foi minha plataforma de trabalho. Com ele aprendi a enxergar que o mundo real pode ganhar novas dimensões e interpretações. Meu aprendizado no decorrer do tempo veio através de aproximações com artistas como Carlos Fajardo, Sandra Cinto, Paulo Pasta e Sergio Romagnolo, que me estimularam a enxergar nessa linguagem, possibilidades que poderiam se estender para outros territórios como a pintura e a fotografia. Desde então, minha busca consiste em obter nas formas que produzo, sensações de leveza e volatilidade a partir das linhas, dos movimentos e das cores. Algo que chamei de Volatilismos, nome da minha segunda mostra individual em São Paulo em 2016.  Por mais que a obras hoje tragam  temas e técnicas diferentes, é através da volatilidade das formas que tento me firmar nessa busca para construir minha poética. (Virgilio Neves)

"Nothing is so solid that cannot rise, not so ethereal that cannot have a body ".

As a visual artist, drawing has always been my work platform. With it I learned to see that the real world can gain new dimensions and interpretations. My learning over time came through getting closer to artists like Carlos Fajardo, Sandra Cinto, Paulo Pasta and Sergio Romagnolo, who encouraged me to see in this language, possibilities that could extend to other territories such as painting and photography. Since then, I've been tried to obtain in my production, sensations of lightness and volatility from the lines, movements and colors. Something I called Volatilismos, the name of my second individual show in Brazil in 2016. As much as the works today bring different themes and techniques, it is through the volatility of forms that I try to establish myself in this search to build my poetics.